MINOM-ICOM

International movement for a new Museology

Mouvement international pour une nouvelle Muséologie

Movimiento internacional para una nueva Museología

3a MUSACINE - Museology and Cinema Show

04.02.2018

SOCIOMUSEOLOGY AND HYPERCONECTED LIVES

This is our proposal for the debate at the 3rd MUSACINE - MUSEOLOGY AND CINEMA SHOW. We accept the challenge of the theme for International Museum Day proposed by the International Council of Museums (ICOM): to think about new approaches and new audiences for a world of "hyperlinked museums". However, instead of museums in sociotechnical networks, we propose the fabrication of a mesh of eco-systemic, holistic, relational, procedural museums. Museums rhizomes, to spread themselves as living organisms in interactive movements, in constant formation-transformation. Museums of an enabling past, a revolutionary gift and a transforming becoming of our being-living-coexisting with human life, with nature, with the cosmos. We propose a hyperconnected museology to life.
Life-lines-intertwined, nature-culture, to form the texture of the world. Life that does not form as a network, but as a meshwork, woven with lifelike vividness, generated and regenerated in perpetual motorcycle. Tangles of life-lines that wander and inhabit a truly open world, to compose earth-sky-wind-time. Human and nonhuman lives entwined, weaving in their footsteps the lines of their own movements, tracing the history of a world-in-formation-transformation. Relational and procedural life ... together!

 

3a MUSACINE - MUSEOLOGY AND CINEMA SHOW

Date - Time
06/02/18 - 2:30 p.m. to 6:30 p.m.

Place of realization
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) - Amphitheater S.0.11 - Campo Grande, 376, Lisbon

Curatorship and Organization
Profa. Doute Judite Primo, Anna Zidannes (Mastermind Museology / ULHT), Cristina Lara Corrêa, Luzia Gomes and Vânia Brayner (Doctorate Museology / ULHT)

Achievement
Unesco Chair / ULHT - Education, Citizenship and Cultural Diversity
Department of Museology - Graduate Program

SELECTED FILMS

IAUARETÊ, THE WATERFALL OF THE WAVES
Country of Production and Production: Brazil
Director: Vincent Carreli Production: Video in the Villages
Duration: 48 'Year: 2006

The documentary brings together narratives of indigenous leaders from upper Rio Negro on the meanings and teachings contained in this landscape, revealing their efforts and their struggle to strengthen and legitimize indigenous traditions. A mythical account illustrated in the stones of a waterfall, the reconstruction of a great maloca and the attempt to recover objects for years kept in a museum in Manaus. In the film, the Tariano Indians of northwest Amazonia, after decades of missionary catechesis, have decided to make a cultural record for future generations. Honorable Mention at the XXXIII International Film Festival of Bahia, 2006; Honorable Mention in the 1st Amazonian Show of the Ethnographic Film. Manaus, 2006; - Anaconda Award for Best Documentary, Anaconda 2006, Bolivia. Special Jury Award, Tulane Latino Environmental Media Festival, New Orleans, USA, 2007; and Prize of the Popular Jury, 4th International Film Festival of Human Rights of Sucre, Bolivia, 2008.

IMIGRASOM
Country of Production and Production: Portugal
Direction and Production: Otávio Raposo and Olímpio Alves
Duration: 42 'Year: 2015

Sung in Creole or with a Brazilian accent, the immigrant rhythms spread the artistic panorama of Lisbon. From the center of the city to its outskirts, one can hear Funaná, Coladeira, Morna, MPB, Forró, Baião, in a musical polyphony that approaches other shores of the Atlantic. The immigrant musicians are the masters of these sonorities, capable of bringing people from very different social worlds together. But who are these artists? How did you come to Portugal? What do you think about your work and your art? The documentary ImigraSom goes to meet Brazilian and Cape Verdean musicians in search of answers. Stroll through the Cova da Moura dance floors, Bairro Alto bars and city streets, where music celebrates life and a world without borders.

PASSANDO À ZÉ MARÔVAS
Country of Production and Production: Portugal
Direction: Aurora Ribeiro Production: Ulysses do Monte and Pana Tainies
Duration: 30 'Year: 2007

In the old days, any tourist entering Badajoz in Portugal was forced to pass the door of Zé Marôvas - who thus attracted customers. Today, after the construction of the highway, Zé Marôvas remains waiting for hours without anyone entering your store. Documentary winner of the national short film competition at Doclisboa 2009.

KA'A'I - THE RITUAL OF THE MOTHER-GRASS
Country of Production and Production: Brazil
Realization: Guarani Community of Ribeirão Silveira (Bertioga / SP)
Images and Screenplay: participants of the Culture Spot "Arandu Porã"
Production: Indigenist Work Center / Guarani Community of Ribeirão Silveira
Duration: 20 'Year: 2014

Ka'a'i, yerba mate ritual, is held every year as a celebration of the arrival of the New Age (Ara Pyau). It is one of the moments in which the Guarani reaffirm their ties to their divine ancestors, the Nhaderu Kuery, and ask that they be strengthened.

TABLE-DEBATE

OTÁVIO RAPOSO - Filmmaker, anthropologist and researcher at the Center for Research and Sociology Studies (CIES-IUL), at the University Institute of Lisbon (ISCTE-IUL), and postdoctoral fellow in Anthropology, Fellow of the Foundation for Science and Technology FCT). He participates in research projects on themes of urban studies, youth, art, segregation and migrations in Portugal and Brazil. He is currently researching the artistic practices and political engagements of young people from the outskirts of Lisbon, as well as the public policies addressed to them. He made documentaries, such as "ImigraSom" and "Nu bai, The Black Rap of Lisbon".

LUZIA GOMES - poet; feminist black; museologist; anthropologist; professor of the Museology course at the Federal University of Pará, Ph.D. in Museology at ULHT. In September of 2017, with his own resources, he published his first book of poetry entitled "Ethnographies Uterinas de Mim" in the city of Lisbon, where he also participated with poems of his own in the collection called "Djidiu - The Inheritance of the Ear: Twelve Forms and One More to speak of the black experience in Portugal ". Co-Founder of the Nêga-Filmes Collective in partnership with the artist and academic Maíra Zenun Almada. And two years ago he published poems and other scripts daily in his blog "Poetic Ethnographies of Me".

Coordination of the Board: Cristina Lara Corrêa, Doctorate in Museology / ULHT


SOCIOMUSEOLOGIA E VIDAS HIPERCONECTADAS

Esta é a nossa proposta para o debate na 3a MUSACINE – MOSTRA DE MUSEOLOGIA E CINEMA. Aceitamos o desafio do tema para o Dia Internacional dos Museus, proposto pelo Conselho Internacional dos Museus (ICOM): pensarmos novas abordagens e novos públicos para um mundo de “museus hiperconectados”. No entanto, ao invés de museus em redes sociotécnicas, propomos a tecitura de uma malha de museus eco-sistêmicos, holísticos, relacionais, processuais. Museus rizomas, a alastrar-se como organismos vivos em movimentos interativos, em constante formação–transformação. Museus de um passado capacitante, um presente revolucionário e um devir transformador do nosso ser–viver–conviver com a vida humana, com a natureza, com o cosmos. Propomos uma museologia hiperconectada à vida.
Linhas–de–vidas–entrelaçadas, natureza–cultura, a formar a textura do mundo. Vida que não se forma como uma rede (network), mas como uma malha (meshwork), tecida com linhas–vivas–vividas, geradas e regeneradas em moto-contínuo, perpetuamente. Emaranhados de linhas–de–vida que andarilham e habitam um mundo verdadeiramente aberto, a compor terra–céu–vento–tempo. Vidas humanas e não-humanas entrelaçadas, a tecer em seus passos as linhas de seus próprios movimentos, a traçar a história de um mundo–em–formação–transformação. Vida relacional e processual…junt@s!

3a MUSACINE – MOSTRA DE MUSEOLOGIA E CINEMA

Data - Hora
06/02/18 - 14h30 às 18h30

Local da realização
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) - Anfiteatro S.0.11 – Campo Grande, 376, Lisboa

Curadoria e Organização
Profa. Doutora Judite Primo, Anna Zidannes (mestranda Museologia/ULHT), Cristina Lara Corrêa, Luzia Gomes e Vânia Brayner (doutorandas Museologia/ULHT)

Realização
Cátedra Unesco/ULHT – Educação, Cidadania e Diversidade Cultural
Departamento de Museologia - Programa de Pós-Graduação

FILMES SELECIONADOS

IAUARETÊ, A CACHOEIRA DAS ONÇAS
País de Produção e realização: Brasil
Diretor: Vincent Carreli Produção: Vídeo nas Aldeias
Duração: 48' Ano: 2006

O documentário reúne narrativas de lideranças indígenas do alto Rio Negro sobre os significados e ensinamentos contidos nessa paisagem, revelando ainda seu esforço e sua luta para fortalecer e legitimar as tradições indígenas. Um relato mítico ilustrado nas pedras de uma cachoeira, a reconstrução de uma grande maloca e a tentativa de reaver objetos há anos guardados em um museu de Manaus. No filme, os índios Tariano, do noroeste da Amazônia, após décadas de catequese missionária, resolvem fazer um registro cultural dirigido às futuras gerações. Menção Honrosa na XXXIII Jornada Internacional de Cinema da Bahia, 2006; Menção Honrosa na 1ª Mostra Amazônica do Filme Etnográfico. Manaus, 2006; - Prêmio Anaconda de melhor documentário, Anaconda 2006, Bolívia. Prêmio Especial do Juri, Tulane Latino Environmental Media Festival, New Orleans, USA, 2007; e Prêmio do Júri Popular, 4º Festival Internacional de Cinema dos Direitos Humanos de Sucre, Bolívia, 2008.

IMIGRASOM 
País de Produção e realização: Portugal
Direção e Produção: Otávio Raposo e Olímpio Alves
Duração: 42' Ano: 2015

Cantados em crioulo ou com sotaque brasileiro, os ritmos imigrantes contagiaram o panorama artístico de Lisboa. Do centro da cidade à sua periferia, ouve-se Funaná, Coladeira, Morna, MPB, Forró, Baião, numa polifonia musical que aproxima outras margens do Atlântico. Os músicos imigrantes são os maestros dessas sonoridades, capazes de aproximar pessoas de mundos sociais bem distintos. Mas quem são esses artistas? Como vieram a Portugal? O que pensam sobre o seu trabalho e a sua arte? O documentário ImigraSom vai ao encontro de músicos brasileiros e cabo-verdianos em busca de respostas. Passeia por pistas de dança da Cova da Moura, bares do Bairro Alto e ruas da cidade, onde a música celebra a vida e um mundo sem fronteiras.

PASSANDO À DE ZÉ MARÔVAS 
País de Produção e realização: Portugal
Direção: Aurora Ribeiro Produção: Ulysses do Monte e Pana Tainies
Duração: 30' Ano: 2007

Antigamente, qualquer turista que entrasse em Portugal por Badajoz era obrigado a passar à porta de Zé Marôvas – que assim angariava clientes. Hoje, após a construção da autoestrada, Zé Marôvas permanece horas à espera, sem que ninguém entre na sua loja. Documentário vencedor da competição nacional de curtas-metragens no Doclisboa 2009.

KA'A'I - O RITUAL DA ERVA-MATE 
País de Produção e realização: Brasil
Realização: Comunidade Guarani do Ribeirão Silveira (Bertioga/SP)
Imagens e Roteiro: participantes do Ponto de Cultura “Arandu Porã”
Produção: Centro de Trabalho Indigenista/Comunidade Guarani do Ribeirão Silveira
Duração: 20' Ano: 2014

Ka'a'i, ritual da erva-mate, é realizado todos os anos como uma celebração da chegada do Tempo Novo (Ara Pyau). É um dos momentos em que os guarani reafirmam os laços com seus ancestrais divinos, os Nhaderu Kuery, e pedem para que sejam fortalecidos.

MESA–DEBATE

OTÁVIO RAPOSO - Cineasta, antropólogo e investigador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL), no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), e pós-doutorando em Antropologia, bolseiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Participa de projetos de pesquisa sobre temáticas de estudos urbanos, juventude, arte, segregação e migrações em Portugal e no Brasil. Atualmente pesquisa as práticas artísticas e os engajamentos políticos dos jovens das periferias de Lisboa, bem como as políticas públicas a eles dirigidas. Realizou documentários, como "ImigraSom" e "Nu bai. O rap negro de Lisboa".

LUZIA GOMES - poeta; feminista negra; museóloga; antropóloga; professora do curso de Museologia da Universidade Federal do Pará, doutoranda em Museologia pela ULHT. Em setembro de 2017 com recursos próprios publicou o seu primeiro livro de poesia intitulado «Etnografias Uterinas de Mim» na cidade de Lisboa, onde também participou com poemas de sua autoria na coletânea denominada «Djidiu – A Herança do Ouvido: Doze formas e mais uma de se falar da experiência negra em Portugal». Co-Fundadora do Coletivo Nêga–Filmes em parceria com a artista e acadêmica Maíra Zenun Almada. E há dois anos publica cotidianamente poemas e outras escrituras no seu blog «Etnografias Poéticas de Mim».

Coordenação da Mesa: Cristina Lara Corrêa, doutoranda em Museologia/ULHT

Galeria